JE T'AIME - LARA FABIAN

LADY - LIONEL RICHIE

4.11.07

No limiar da Diginidade...


Em Mirandela e Murça



Olá,

este ano - de 25-10 a 03-11, voltei às minhas raízes, no coração da terra transmontana, para respirar o ar puro dos montes que me viram nascer e, sobretudo, para prestar homenagem ao meu pai que ali elegeu a sua última morada.
Nestes nove dias aproveitei para visitar, entre outras, a cidade de Mirandela e para " redescobrir " Fátima, agora, a duas horas de minha casa.



Longe vão os tempos em que eu precisava de quase um dia para la chegar. Devo confessar que, graças às novas auto-estradas abertas nos flancos das montanhas, o meu país se tornou uma aldeia, mas entristece-me ver que as " mentalidades ", portanto mais ágeis e mais maleáveis, continuam lacradas, cerradas e trancadas a sete chaves.


Basílicas de Fátima


Humanamente, Portugal é um país adiado e sinistrado, prisioneiro de um passado demasiado pesado para quem perdeu a Fé que arrasta montanhas e não acredita mais no sonho.

É como se, gerações sucessivas, se julgassem indígnas e incapazes de perpetuar a " herança quinhentista " , preferindo " renegar " inconscientemente um legado demasiado pesado e difícil de sustentar.
Porque?
Porque, pura e simplesmente, essas gerações não se identificam com essa " gesta " ou não precisam mais de SER.
Há uma perda de valores e de identidade gritante nesta sociedade...
E mais não opino!

Entristece-me, contudo, este povo " invertebrado ", que se vai arrastando pelos meandros da " fatilidade ", à espera que um novo " milagre " aconteça e lhes permita " sobreviver " ou levar a vida na " boa-vai-ela " até que a morte se digne dar o golpe de misericórdia no suplício interior que o faz viver como um " condenado ".

É triste, mas há muito que Portugal ( e o mundo ) vegeta como um parasita no limiar da Dignidade e, cumprindo o seu triste Fado, segue sem rei nem roque, rebocado e iludido pelo consumismo egoísta sobre o qual constrói a sua desgraça.

De desígnio nacional já nem falo... porque esse a " lusitânia " o entregou de mão-beijada, como Judas, no dia em que trocou a alma e a dignidade pelos " milhões " de uma União de fachada e de conveniência que nada acrescenta à nossa essência e à nossa identidade.



Heróis transmontanos: Diogo Cão, Navegador e actor da Gesta Quintentista e Carvalho Araújo, Comandante e herói da 1ª Guerra Mundial


Não é esse povo nem um mundo assim que eu quero.
Infelizmente, e porque pouco ou nada " posso ", resta-me o dever de SER diferente, exigente e vigilante comigo mesmo.

Um abraço

Luís


Princesa do Tua: Mirandela



Lud MacMartinson - LMP - Luxemburgo

1 comentário:

ana bárbara santo antonio disse...

Olá transmontano! (como eu)
Princesa do Tua, sim! Musa Tagide, neste caso Tuagide, aqui nasci, nestas terras transmontanas, tão cheia de ânsia pela vida das palavras, corre-me sangue escrita, deixo escorrer de sangramentos da alma, como vós...
Feliz de vos ter descoberto, aqui virei muitas vezes deleitar-me das vossas intenções...

ana bárbara