To love you more - Celine Dion

Lady - Lionel Richie

8.2.09

Ninguém



















Ninguém me ama 
ninguém me quer 
ninguém me faz 
sentir mulher 
ninguém me chama 
de meu Amor 
Ninguém me aclama 
com ardor 
Ninguém me inflama 
e o meu prazer 
na cama 
impotente jaz 
carpindo a dor 
Ninguém me espera 
em nenhum lugar 
ninguém me paquera 
e quer 
me provocar 
mesmo a quimera 
me abandonou 
no altar 
e deixou 
de ser 
o motor 
do meu amor 
Ninguém escuta 
com atenção 
a luta 
do meu coração 
ninguém mais crê 
no meu olhar 
ninguém vê 
que a paixão 
quer entrar 
em ebulição, 
se ninguém vier 
assim vou morrer 
Ninguém deseja 
que na cama 
eu seja 
a chama 
que ardeja 
reluzente 
Ninguém aspira 
ser meu amante 
ninguém me atira 
para o pecado 
ninguém suspira 
ficar a meu lado 
Ninguém me fala 
com emoção 
ninguém me embala 
o coração 
ninguém me canta 
uma canção 
ninguém me espanta 
a solidão 
Ninguém me ama 
ninguém me quer 
ninguém me faz 
sentir mulher 
Ninguém aceita 
os meus beijos 
ninguém deleita 
os meus desejos 
ninguém aceita 
os ensejos 
ninguém me ajeita 
com tesão 
e desta feita 
sinto que a vida 
é o meu amor 
de perdição 
Ninguém sente 
nada por mim 
ninguém me mente 
ninguém abusa 
ninguém me usa 
por prazer 
e, de repente, 
tão confusa 
e tão carente, 
é irrevelante 
ser Presente, 
meio ou fim 
Ninguém quer 
o meu corpo 
de mulher 
ninguém faz 
de mim 
um horto 
ou um jardim 
de prazer 
Ninguém presta 
atenção 
só me resta 
a desilusão 
Ninguém está 
quando preciso 
ninguém me dá 
o paraíso 
ninguém chora 
comigo 
ninguém me dá 
abrigo 
ninguém me adora 
ninguém me castiga 
ninguém me obriga 
ou manda embora 

Ninguém tem 
carinho 
ninguém vem 
de mansinho 


ninguém me excita 
com desdém 
ou sofreguidão 
ninguém é refém 


desta paixão 
que ainda crepita 
e onde palpita 
o coração de alguém 

Ninguém

...

Lud MacMartinson / LMMP
Luxemburgo

3 comentários:

Ana Carmen disse...

Como sempre, magnífico. Um beijo.

Anonymous disse...

Lindíssomo, Lud!!
Beijo.
Margarida

FéniX - L2MP disse...

Olá, Margarida !
Quanto tempo desaparecida...
Seja bem-vinda!
Bjs
Lud